Aumento peniano: as seis técnicas mais famosas funcionam mesmo?
Aumento peniano: as seis técnicas mais famosas funcionam mesmo?

Aumento peniano: as seis técnicas mais famosas funcionam mesmo?

Por Na Pimentaria

O que tem de gente oferecendo tratamento, aparelho, técnica, erva, reza braba pra aumentar o pênis não é brincadeira. Você já deve ter recebido um email do tipo: “Como ganhar dois centímetros usando apenas um fio dental e uma bolinha de gude”. Será que alguma coisa funciona de verdade pra dar uma esticadinha? Antes de comentar 6 promessas que mais fazem pros aspirantes a Kid Bengala, eu queria só esclarecer o que é realmente considerado um dito-cujo pequeno. A média mundial é de 13 cm de comprimento em ereção – mais ou menos uma caneta esferográfica sem tampa. Os médicos costumam definir como micro-pênis aqueles que têm 7 cm ou menos quando estão duros – mais ou menos um toco de lápis… daquele tamanho que é difícil, mas ainda dá pra apontar.

O pênis cresce durante a puberdade e estaciona por volta dos 18 anos. Depois disso, satisfeito ou não… você ainda tem dedo e língua. Vou te contar outra coisa, caro hétero: o canal vaginal mede entre 8cm e 10cm (mas é elástico e alonga quando a mulher tá excitada). Quanto mais fundo, menos terminações nervosas = menor sensibilidade. Os 3 primeiros cm, bem ali na entrada, é que dão mais prazer. Pra você ter ideia, apenas 20% das mulheres dizem ter orgasmos com penetração, sem precisar do estímulo direto no clitóris.

Mesmo assim o mercado e todo tipo de charlatão se beneficiam dessa angústia masculina praticamente generalizada. Os métodos mais famosos que vendem ou divulgam por aí são:

1) Manobras ou exercícios com o pênis ereto. É um tal de puxa, estica, espreme em várias direções. Essa técnica é óóóóótima pra abrir massa de pizza – deixa bem fininha e crocante, sabe? Mas não funciona pra prolongar o seu membro sexual.

2) Bomba ou extensor peniano. Vende muito em sex shop. É um cilindro que você encaixa no pênis, faz uma sucção a vácuo… Claro que ele vai aumentar na hora porque você tá retendo o sangue ali. Se você prender um elástico no punho por muito tempo, sua mão vai inchar. Tirou o elástico, aos poucos volta ao tamanho normal. Essa bomba pode ajudar nos casos em que o cidadão tem dificuldade com a ereção, o que é totalmente diferente.

3) Remédios naturais com ginseng, maca peruana, L-arginina etc. Algumas substâncias podem, de fato, melhorar a circulação sanguínea e ter algum impacto na qualidade da ereção, mas nada a ver com comprimento de pênis. Não adianta tomar todo dia junto com o shake de whey, beleza?

4) Injeções com ácido, hidrogel ou enxerto de pele/gordura. Esses procedimentos feitos por alguns urologistas são MUITO delicados, podem deformar o pênis e trazer problemas funcionais, como dificuldade de ereção. Eles podem até engrossar, mas não prolongam o órgão!

5) Lipoaspiração pubiana: tirar cirurgicamente a camada de gordura que alguns caras têm no púbis e na região da virilha. Não é que aumenta, você só vai conseguir enxergar inteiro o pênis que você já tem. Não é melhor fazer uma dieta e deixar os pelos bem aparados?

6) Cirurgia que corta um ligamento na base do pênis. O médico dá uma espécie de descolada da pele. Essa intervenção aumenta no máximo 2 cm e o paciente fica sujeito aos efeitos colaterais como, de novo, dificuldade de ter e manter uma ereção. Ou seja, tem que ser feito por um profissional sério.

Pois é… Não existe milagre nem produtos ou exercícios pra aumentar o pênis comprovados cientificamente. No fim das contas, quem você acha que tá mais encanado com o tamanho – homens ou mulheres? Será que não rola uma crença exagerada nos padrões impostos pela pornografia?

A boa notícia é que dá pra aumentar a autoestima em qualquer idade.