Relacionamentos - Ciência descobre 3 fatores comuns dos casais felizes
Relacionamentos - Ciência descobre 3 fatores comuns dos casais felizes

Relacionamentos - Ciência descobre 3 fatores comuns dos casais felizes
Pesquisas sobre relacionamentos que indicam que para manter uma união saudável, existem alguns fatores em comum, simples e fáceis de seguir.
Por Toni Nascimento

Certamente, todos os relacionamentos possuem alguns pontos em comum. Primeiramente, duas pessoas se conhecem e se deixam levar uma pela outra. Apesar disso, depois de um tempo elas vão deixando de se dedicar pela outra pessoa, e a união vai perdendo a força. Consequentemente aparece rancores, conflitos, carências e rivalidades.

Acima de tudo, para que um relacionamento fique bem, é preciso esforço de ambas as partes. Além disso, cada vez mais existem estudos científicos analisando os casais felizes, e vendo o que existe de diferente neles. O Área de Mulher separou três características encontradas pela ciência em relacionamentos felizes.

1 – Conexão

Primeiramente, existe uma conexão muito forte entre duas pessoas que estão juntas. Consequentemente, é preciso uma grande dose de responsabilidade emocional. Isso significa que deve-se entender o que o outro está sentindo ou passando através dos mínimos detalhes. Ou seja, se importar e ter (novamente) conexão.

Acima de tudo, o que torna um casal infeliz é quando existe uma desconexão emocional. O criticismo, a rejeição, o afastamento e o ficar na defensiva são atitudes extremamente estressantes.

2 – Positividade

O afastamento emocional é um problema quando o casal não realiza atividades que criam positividade. Isso leva elas a se sentirem cada vez mais distantes. O ideal é alimentar pequenos hábitos de contato que expressem o carinho de um pelo outro. Ou seja, é necessário existir uma positividade na relação.

3 – Sentir com inteligência, pensar com emoção

Relacionamentos saudáveis e felizes possui, dos dois lados: a prática da empatia, o controle dos próprios sentimentos e a manutenção de uma visão positiva do parceiro. Acima de tudo, é necessário controlar o estresse e as emoções. Se você não consegue se segurar sozinho quando a raiva aparece, desvie dela: vá para a academia, dê uma volta com o cachorro ou leia um bom livro. A raiva é algo destrutivo.

Fonte: Gazeta do Povo