Sexo sem tesão causa doenças cardíacas e depressão
Sexo sem tesão causa doenças cardíacas e depressão

Sexo sem tesão causa doenças cardíacas e depressão
Pesquisa realizada por universidade do Texas mostra que não aproveitar o sexo pode ser muito prejudicial à saúde
Por Luis Carvalho em Portal Areah

O levantamento revelou que a falta de sexo não causa depressão, mas sim o sexo feito sem desejo


Fazer sexo sem muita vontade é algo raro entre nós, homens, mas isso não significa que este seja um problema exclusivo das mulheres. Afinal, você pode chegar em casa depois de um dia cansativo de trabalho e querer se jogar no sofá em frente à TV, mas se sua parceira quiser um pouco de ação entre lençóis, duvido que você recuse. Porém, é preciso tomar cuidado com o sexo feito sem tesão, como afirma uma pesquisa recente (06/2016), que descobriu que os efeitos negativos da prática afetam tanto o corpo quanto a mente.

Realizada pela Southwestern University, no Texas, a pesquisa foi a primeira realizada com a intenção de investigar os efeitos do sexo indesejado na saúde em vez de tentar descobrir o que isso causava nos relacionamentos. Nela, 64 participantes que estavam em relacionamentos sérios compararam a quantidade de vezes que fizeram sexo no último mês com a frequência que tinham vontade de transar durante o mesmo período. As respostas foram bastante variadas - desde nenhuma até várias vezes em um único dia.

Em um segundo momento do estudo, os pesquisadores observaram a quantidade do hormônio cortisol (produzido em momentos de estresse físico e/ou psicológico) presente na saliva dos participantes. Dessa forma, foi possível obter uma prova que apontasse com precisão se as pessoas que haviam respondido às perguntas anteriores estavam estressadas. Altos níveis desse hormônio podem prejudicar o sistema imunológico, aumentando as chances de contrair doençar do coração e também depressão.

O resultado observado foi que as pessoas que tinham relações sexuais com mais frequência do que desejavam possuíam um nível de cortisol maior do que o resto dos participantes. Isso indicou que essas pessoas praticavam o que os pesquisadores chamaram de "compliance sexual" ou "transa burocrática", que é o ato de aceitar o sexo somente para agradar a outra pessoa envolvida na relação, numa tentativa de manter a boa qualidade do relacionamento.

Outra descoberta foi na contramão de uma crença bastante popular sobre o sexo - a de que a falta dele teria como consequência um nível maior de estresse. Os participantes que tinham transas com menor frequência possuiam o nível de hormônio regular, o que mostrou que a falta de sexo não é um fator capaz de deixar alguém estressado biologicamente.

O "sexo burocrático" é uma prática ainda muito comum entre muitos casais, mas muitas vezes ele é capaz apenas de oferecer satisfação para apenas um dos parceiros ou até mesmo nenhum, enquanto o casal pode estar se sujeitando a contrair doenças graves sem nem mesmo saber.

Sobre Luis Carvalho
Nerd full time, viciado em literatura, HQs, games, filmes e séries, descobriu o amor pelo jornalismo ao perceber que não sabia fazer contas.